Polícia investiga incêndio criminoso na sede da Folha da Região

A sede do jornal Folha da Região de Olímpia, onde também funciona a rádio Cidade, foi vítima de um ataque. Por volta de 4h30 da manhã de quarta-feira, 17, segundo as informações, colocaram um balde de combustível, que a polícia acha que seja álcool, na porta de ferro do jornal e despejaram o mesmo combustível na porta da residência do jornalista José Antônio Arantes, que é na parte superior.
O jornalista foi acordado com o latir desesperado de seus cachorros e com a fumaça sufocante que já chegava no interior do quarto onde dormia. A fumaça tomou conta de todo o interior da residência, impedindo a respiração.
A família do jornalista agiu rapidamente e conseguiu apagar o fogo que estava dentro do corredor da residência provocado pela combustível jogado debaixo da porta de entrada.
Logo após, ao abrir a porta da residência, para, inclusive, respirar melhor, Arantes, a esposa e a filha neta se depararam com chamas já altas na porta do jornal que levaram alguns minutos para ser contidos.
O jornalista agora vai tomar todas as providências cabíveis, mas garantiu que não esmorecerá na sua luta pela informação e contra a intolerância, o ódio, o “negacionismo” e o “genocídio”. “Estou há 40 anos na profissão, comecei minha carreira já no final da ditadura e não vou abrir mão de lutar pelo meu povo e contra qualquer tipo de terrorismo e pensamento político que visem tirar a liberdade e suprir os direitos de minha população”.
O jornalista que, além de editar o jornal semanal, também âncora, junto com sua filha, um programa noticioso de segunda a sexta-feira, pelo Facebook e Youtube e é retransmitido pela rádio Cidade vinha sofrendo ameaças pela internet e até outras mais graves.

AMEAÇAS COMEÇARAM NA SEXTA-FEIRA
O jornalista que, além de editar o jornal semanal, também âncora, junto com sua filha, um programa noticioso de segunda a sexta-feira, pelo Facebook e Youtube e é retransmitido pela rádio Cidade, conta que vinha sofrendo ameaças pela internet e até outras mais graves, pelo seu posicionamento.
Segundo Arantes, na sexta-feira passada, um carro começou a seguir na rodovia o motorista que vai buscar o jornal que é impresso em São José do Rio Preto. O veículo encostava no veículo contratado pelo jornal e ameaçava chocar lateral com lateral.
“Eu imaginei que tinha sido apenas uma brincadeira de mau gosto de alguma pessoa que não tinha o que fazer, mas, no domingo o carro do jornalista amanheceu com o pneu furado e a pessoa que foi arrumar acabou descobrindo que os parafusos das quatro rodas do veículo não estavam totalmente apertadas. Algumas totalmente frouxas”, complementou.

    Deixe seu comentário

    Seu endereço de email não será publicado.*

    Header Ad