Mãe de Giselle agradece a população pelas homenagens na despedida da filha

“Ela lutou muito, uma guerreira incansável. Lutou contra a doença, contra a dor”

 

O site Gazeta de Olímpia recebeu ontem a visita da dona de casa Marlene Melo, mãe de Giselle Carlos.
Gi, como era carinhosamente chamada, faleceu na noite de domingo, 31 de maio, depois de três anos lutando contra o câncer. Ela tinha 37 anos. Deixou duas filhas (Carol e Camila), o marido (Carlos), familiares, entre eles a mãe, a melhor amiga (Vania Lima) e uma legião de amigos e seguidores nas redes sociais.
Ainda muito abalada pela perda, Marlene disse que a filha é um exemplo de fé, luta e esperança. “Ela lutou muito, uma guerreira incansável. Lutou contra a doença, contra a dor. Ainda assim, mesmo fraca, tinha forças para ajudar outras pessoas que sofriam da mesma doença”, disse Marlene.
“Em nome da minha família e da minha filha, que agora está nos braços de Deus, quero agradecer a população olimpiense que muito ajudou minha filha em vida. Foram inúmeras campanhas, bingos, eventos que ajudaram a Giselle a prosseguir com o tratamento e suprir os gastos que eram altos. Agradeço dos mais humildes aos mais abastados. Empresários, comerciantes, população em geral, os cantores que sempre a ajudava, os amigos, e pessoas até que não a conhecia e colaboravam com suas necessidades. Agradeço também as homenagens póstumas prestadas, a presença das pessoas no velório e no enterro, as homenagens nas redes sociais no facebook. Minha filha ficará para sempre no coração das pessoas e será lembrada como uma guerreira”.
GISELLE
Até quem não a conhecia expressou tristeza e prestou homenagens. Os que acompanharam sua história, não contiveram as lágrimas.
O velório de Gi ocorreu na manhã de segunda-feira. Foram apenas quatro horas para a despedida. O tempo limitado (por conta da pandemia do Covid-19), permitia somente que dez pessoas ficassem na sala, se revezando para evitar aglomeração.
O sepultamento aconteceu no Cemitério São José, sob forte comoção. Antes, os cantores Guilherme Ribeiro e Wesley Mattos cantaram e prestaram a última homenagem a Gi. Ela era fã dos dois.
Giselle tinha muito contato com os músicos e cantores. Eles, solidários, sempre participavam de eventos beneficentes promovidos por ela ou para ela. Inclusive, cantavam em Barretos, em uma ação desenvolvida por ela e a amiga Vânia, em prol ao Hospital do Amor, a “Equipe Tudo por Amor”.
Agora, ficam as lembranças e a certeza de que Gi era especial. Um ser humano extraordinário. Uma mulher que vai deixar seu nome gravado na história.

    Deixe seu comentário

    Seu endereço de email não será publicado.*

    Header Ad