Turistas portugueses fogem de Olímpia sem fazer teste para o Coronavírus

Grupo estava em uma pousada no Jardim Santa Ifigênia

 

Trinta portugueses que estavam hospedados em uma casa de temporada no bairro Santa Ifigênia em Olímpia fugiram da fiscalização da prefeitura ontem, segunda-feira, 23, sem fazer nenhum tipo de testagem para o coronavírus. O grupo foi descoberto durante blitze realizadas pela Secretaria de Agricultura, Comércio e Indústria, depois que o prefeito Fernando Cunha proibiu, a partir desta segunda-feira, a hospedagem de turistas em hotéis, pousadas, casas de passagens e qualquer outro tipo de reservas para turistas. Atualmente a Secretaria de Saúde do município monitora seis casos suspeitos da Covid-19 na cidade. A reportagem é do Diário da Região, de São José do Rio Preto.

De acordo com as informações do secretário Tarcísio Cândido Aguiar, responsável pela fiscalização, a denúncia foi feita pelo próprio dono da casa. “O dono do local nos procurou e disse que chegaram 30 portugueses na última sexta-feira e ele não sabia o que fazer”, disse Aguiar. “Ele queria achar uma maneira de ajudar eles em Olímpia e falamos que tinham que sair”, completou o secretário.

O chefe da fiscalização informou que nesse primeiro momento do contato com a prefeitura, o proprietário da casa de temporada se negou a passar a localização onde os portugueses estavam hospedados. “No primeiro momento ele não passou o endereço da casa e, quando conseguimos, eles (portugueses) já tinham ido embora”, afirmou o secretário.

Segundo o secretário, os turistas saíram da casa e quando a fiscalização conseguiu o endereço e chegou ao local já não encontrou ninguém. “O único documento que tinham deixado para o proprietário era um cartão. Não havia contato telefônico”, afirmou Aguiar. Diante da situação, o grupo, entre adultos e criança de colo, saiu do local sem nenhum tipo de monitoramento como recomenda o Ministério da Saúde, uma vez que se enquadram dentro dos requisitos do protocolo do Ministério.

Tanto a Secretaria de Agricultura, Comércio e Indústria, como a Vigilância Sanitária de Olímpia não possuem nenhum tipo de controle sobre o destino do grupo. “Todos de origem portuguesa. O que o proprietário nos passou é que alguns residem na região de Guarulhos – Região Metropolitana de São Paulo, onde está a maior parte dos casos da Covid-19. “Entendemos que vieram correndo de São Paulo para cá”, afirmou.

Por telefone, o Diário foi atendido por uma pessoa do flat, que preferiu não se identificar, mas disse ser o responsável pelo local. Ele confirmou a informação de que os portugueses estavam hospedados na casa desde da última sexta-feira. Os 30 portugueses, segundo o dono da hospedagem, já estavam na cidade, mas diante do fechamento dos parques aquáticos do município eles foram despejados de hotéis e procuraram o flat para continuar em Olímpia.

Com o Decreto Municipal que entrou em vigor na meia-noite desta segunda-feira, o proprietário disse ter procurado a prefeitura para saber como proceder em relação ao grupo de turistas.

“Eu tentei perante a prefeitura algum lugar para eles ficarem, porque segundo eles, não tinham residência fixa. Falei com a prefeitura para ver se tinha algum albergue para deixar eles. Eles foram enfáticos que tinham um decreto municipal que quem não fosse residente da cidade tinha que voltar para as suas casas”, declarou o proprietário do imóvel ao Diário.

Foi quando o proprietário disse que informou aos portugueses sobre a ordem. “Logo que a prefeitura solicitou a saída, eu cheguei pra eles [portugueses] e expliquei a situação. Eles entenderam, então a prefeitura não precisou ir ao local fazer o despejo. Eles saíram com consciência própria”, declarou. Ainda segundo ele, os portugueses diziam não ter sintomas para a Covid-19.

Providências

Para apurar a situação e evitar supostas transmissões do coronavírus, o chefe da fiscalização informou que irá levar o caso para as autoridades responsáveis por apurar a situação. “A Vigilância Sanitária vai tomar as providências necessárias junto com esse proprietário. Nós também vamos registrar um boletim de ocorrência”, afirmou Aguiar.

Diário da Região (Colaborou Rone Carvalho)

    Deixe seu comentário

    Seu endereço de email não será publicado.*

    Header Ad